Home / OPINIÃO / Crónicas Adams Choice: saber olhar para dentro
mentoria Crónicas PME Magazine sobre o programa Adams Choice
Foto (Nova SBE Executive Education)

Crónicas Adams Choice: saber olhar para dentro

Por: Mafalda Marques, diretora da PME Magazine

Costa é empresário da restauração há mais de 30 anos, já passou por muito, e os resultados do ano passado obrigaram-no a refletir sobre velhos hábitos que o impediam de prestar um melhor serviço ao cliente.

Uma das mudanças que decidiu fazer foi renovar toda a equipa e investir na formação de jovens da escola superior de hotelaria e turismo, dando trabalho aos “filhos da terra”. 

Os resultados foram imediatos: mais simpatia no atendimento, melhor nível de serviço e melhores classificações no Tripadvisor. A decisão não foi fácil, mas, olhando para trás, a diferença é notória e Costa já revê clientes que tinham deixado de frequentar a casa.

Criou uma segunda oportunidade a si mesmo e recebe com agrado o feedback de todos, pois só quer melhorar o nível de serviço.

A busca de um novo caminho geralmente traz mais resultados quando é sentida emocionalmente. Essa ponderação, ou meditação interior, pode ser praticada dia a dia e Constança Casquinho, professora na Nova School of Business and Economics ensina técnicas de meditação a empresários que buscam mentoria.

A meditação leva tempo e é necessário fazer uma prática onde sabes o que estás a fazer e porque o estás a fazer. Costa sentia isso, e concordava, só não sabia como fazê-lo. Mas com quase 60 anos… não podia desistir.

O desafio era conseguir parar para pensar. O excesso de informação era tal, que na correria desenfreada limitava-se a gerir o dia a dia, sem ponderar outras soluções “invisíveis aos olhos”, mas certas no propósito.

mindfulness, ou mente vazia, é um treino mental que ensina as pessoas a lidarem com os seus pensamentos e emoções. Ajuda uma pessoa a distinguir o pensamento útil daquele inútil que, em determinadas circunstâncias, chega a ser prejudicial.

Mas Costa não sabia “meditar” na correria dos seus restaurantes, só sentia que as coisas não estavam bem e que algo tinha de mudar. Por isso, começou por mudar a si mesmo.

Procurou ouvir outros empresários, afinal não era o único, partilhou os seus desafios, afastou-se da azáfama e tentou olhar o negócio de fora, sem influência externa. 

Olhou para dentro e viu muita coisa errada, mas a vontade de fazer melhor continuava lá, por isso, identificou o que podia ser mudado sem alterar a essência do negócio. Começou de novo, diz ele.

Nunca é tarde para recomeçar, Costa, e recomece as vezes necessárias para se manter no seu caminho, pois isso sente-se quando falamos consigo e no ambiente do seu restaurante.

Esta crónica faz o acompanhamento do programa Adams Choice, organizado pela Nova School of Business & Economics. Pode incluir testemunhos verídicos, sob pseudónimos, validando o impacto do programa nos participantes. 

Acompanhe as nossas crónicas e saiba mais sobre este programa.