Home / Empresas / Estão abertas as inscrições do Azores Startup Challenge
Azores Startup Challenge Azores Startup Factory starutups concurso internacional
Concurso de startups universitárias terá fase final na China (Foto: Unsplash)

Estão abertas as inscrições do Azores Startup Challenge

Estão abertas as inscrições para o Azores Startup Challenge, o programa irá selecionar três participantes portugueses para a competição mundial de startups universitárias, que conta, anualmente, com mais de 75 representantes.

O concurso da Azores Startup Challenge, que tem como finalidade selecionar as representantes portuguesas para a competição mundial de startups universitárias, tem as inscrições abertas até ao próximo dia 23 de maio.

Este ano, a fase final é organizada na China, na cidade de Wenzhou, porém, devido às restrições impostas pela pandemia covid-19, o programa será realizado em formato online.

O projeto é composto “por diversos workshops e masterclasses, bem como acesso a uma grande rede de networking e feedback de especialistas”, como se pode ler em comunicado. “Os vencedores de cada uma das categorias tem em jogo 1.000 dólares, e o vencedor global levará o prémio de 15.000 dólares”, aproximadamente 8.200 e 11.000 euros, respetivamente.

A escolha da seleção nacional para o concurso mundial está a cargo da Azores Startup Factory, sediada na ilha de São Miguel, nos Açores. A organização tem desenvolvido trabalho na área da inovação, tanto em Portugal, como noutros países. O seu envolvimento na competição passa, então, por escolher os três representantes portugueses.

Filipe Cordeiro, CEO da Azores Startup Factory afirma que “estas iniciativas internacionais são cada vez mais importantes para o desenvolvimento do ecossistema nacional português” e que “é este o papel que a Azores Startup Factory quer ter em Portugal, ser a ponte de ligação à inovação”.

Para a participação são necessários alguns requisitos como ser “uma startup com pelo menos dois cofundadores”, sendo que um tem que frequentar o ensino superior ou que o terminou há menos de dois anos, e a startup tem que desenvolver pelo menos “um dos Objetivos para o Desenvolvimento da ONU”.

Após as candidaturas, serão selecionados dez projetos que “passarão por um bootcamp de preparação à fase final, onde terão acesso a diversas formações e acompanhamento de mentores especialistas”.

O CEO destaca ainda “a necessidade de existir cada vez mais programas de inovação e empreendedorismo nas universidades de forma a potenciar o melhor que os jovens têm para dar ao ecossistema empreendedor”.