Home / OPINIÃO / O mês de reflexão nas finanças empresariais
Carina Meireles especialista em finanças pessoais
Carina Meireles, especialista em finanças pessoais (Foto: Divulgação)

O mês de reflexão nas finanças empresariais

Por: Carina Meireles, especialista em finanças pessoais

Estamos quase a terminar o ano e este mês é particularmente dispendioso também no que toca às finanças empresarias.

Por isso é que fezembro deve ser um mês de reflexão, para que o início do ano comece logo da melhor maneira.

Deve aproveitar este mês para fazer um balanço das despesas que teve neste ano e como pode mudar no próximo ano.

Mesmo quando temos o controlo sobre o nosso negócio, muitas vezes esse controlo pode ainda ser mais eficiente e eficaz com resultados mais visíveis se tivermos em consideração um bom planeamento.

Muitas das vezes o que acontece é que mesmo na área empresarial se acaba por gastar mais do que verdadeiramente se deve e neste ano atípico ainda mais evidente é, mais em algumas áreas de negócio do que em outras, mas que acabam por consequentemente originar prejuízos que influenciam diretamente o desenvolvimento do negócio e muitas das vezes a saída mais fácil é a Banca.

Por isso é que, mesmo no caso dos negócios, é importante definirmos um orçamento.

“Planeamento é uma ferramenta administrativa que possibilita perceber a realidade, avaliar os caminhos, construir um referencial futuro, estruturando o caminho adequado e reavaliar todo o processo a que o planeamento se destina. (…) procura alcançar, da melhor forma possível, alguns objetivos pré-definidos.” – Wikipédia.

Comece por pensar em criar um orçamento anual com estimativas o mais reais possíveis de forma a evitar desvios muito significativos. Desta forma vai poder constatar se o que recebe e gasta vai ao encontro dos objetivos definidos para a empresa.

Para isso deve colocar questões importantes para obter resposta em cima da mesa, como por exemplo:

Quanto vou conseguir receber?

Esta pergunta deve ser realista e ter sempre um plano B, que é o mesmo que dizer que devemos dar preferência a um cenário também ele pessimista. Ter um negócio é muitas vezes estar com incertezas que algumas delas podemos nem controlar, por exemplo a pandemia que vivemos atualmente, ou algum fator que possa ser externo à empresa e tenha interferência direta ou indireta.

Quais vão ser os meus gastos?

Tenha um controlo absoluto de todas as despesas da empresa, mesmo as do dia-a-dia. Mesmo as despesas que possam ser imprevistas devem ser consideradas no orçamento anual e, mais uma vez, tenha um Plano B. Primeiro e mais importante é pensar se não estamos a pagar demasiadas comissões e serviços aos bancos, que representam uma fatia significativa nos custos mesmo no caso dos negócios.

Que investimentos pretendo fazer no novo ano?

Se está a pensar em fazer novos investimentos (produtos, serviços, formação, etc), pense bem como vai fazer e coloque essa informação no orçamento para que tenha em consideração também os investimentos que pretende fazer e quando espera obter retorno.

Evite começar o ano a pedir mais financiamentos à banca, sem primeiro analisar o que tem dentro de portas e ver como pode poupar dinheiro por aqui.

Aproveite o final do ano para olhar para o seu negócio financeiramente como está, o que pode fazer para o fazer crescer e como pretende que ele chegue ou esteja no final do próximo ano. Defina prioridades de gastos, poupanças e investimentos e organize-se da melhor maneira, sempre previsões ajustadas à realidade e com soluções como segundos planos para que seja um ano de desenvolvimento, crescimento e potencial no seu mercado de atuação.

Compare as receitas com os gastos que tem e venha a ter e analise se o resultado final está em consenso com os objetivos traçados pela empresa. Se isso não acontecer então deve rever as suas despesas e começar a pensar numa forma de reduzir custos.

Torne o seu novo ano num ano de viragem e comece desde cedo a pensar e implementar soluções de poupança também nos gastos, que muitas vezes fazem toda a diferença.

Um feliz Natal, um bom ano e bons negócios!