Home / MERCADO / Economia / Nasceram 14 mil empresas nos primeiros quatro meses do ano
empresas gráficos estudos estatísticas Informa D&B
Portugal registou mais 13.866 empresas (Foto: Unsplash)

Nasceram 14 mil empresas nos primeiros quatro meses do ano

De acordo com os dados recolhidos pela Informa D&B, só nos primeiros quatro meses de 2021, foram criadas cerca de 14 mil empresas em Portugal, o que representa um crescimento de 4,3% face ao período homólogo.

Segundo os dados da Informa D&B, “a constituição de novas empresas manteve-se acima das 3 mil, em todos os meses de 2021”, o que significa que desde o início do ano – período de 1 de janeiro até 30 de abril – foram criadas 13.866 organizações. Contudo, “a recuperação do empreendedorismo está a ser feita a diferentes velocidades, quer em termos setoriais, quer em relação às diversas regiões do país”.

De acordo com a informação avançada pela Informa, no que respeita aos setores de atividades que mais registaram recuos face a 2020, e por resultado da pandemia covid-19, destacam-se o alojamento e restauração, e os serviços gerais e os transportes, sendo que este último registou uma quebra de cerca de 50%, relativamente às empresas.

Ainda assim, os setores do retalho, agricultura, tecnologias de informação e comunicação e atividades de imobiliária, são aqueles em que face ao ano anterior, representaram um crescimento mais expressivo de novas empresas. Este desenvolvimento deriva da expansão do comércio online, e é precisamente esse fator que justifica o crescimento de cerca de 39% no setor do retalho, o equivalente a 1.970 novas empresas criadas este ano.

O estudo faz, ainda, alusão aos resultados em termos regionais: “Enquanto na maioria das regiões o nascimento de empresas cresceu nos primeiros quatro meses do ano, a Área Metropolitana de Lisboa e o Algarve registaram recuos de 7% e 6%, respetivamente”.  Isto significa que a região do Norte registou mais 4.845 novas empresas e a Área Metropolitana de Lisboa cerca de 4.640.

Os dados obtidos mostram ainda que no período de 1 de janeiro e 30 de abril deste ano, encerraram cerca de 3.976 empresas, o que representa uma queda de 2,6% face ao período homólogo.

Para além disso, cerca de “780 empresas iniciaram um processo de insolvência, o que corresponde a um ligeiro recuo de 3,1%” em comparação com mesmo período do ano anterior. “O alojamento e restauração foi o único setor a registar uma subida significativa de 59%, que corresponde a 47 novos processos de insolvência”.