Home / OPINIÃO / Os sete principais erros das páginas de empresa no Linkedin

Os sete principais erros das páginas de empresa no Linkedin

Por: Pedro Caramez, consultor de marketing digital

Sente que não sabe como potenciar uma página de Empresa no Linkedin? Ou até mesmo se faz sentido a sua empresa ter uma página empresarial no Linkedin? Neste artigo, identifico os 7 principais erros das páginas de empresa e que vejo diariamente…

 

1. Usar perfil pessoal em vez de página de empresa

“O” erro clássico! Muitas empresas têm dificuldade em entender estas duas tipologias existentes no Linkedin: perfis pessoais vs. páginas de empresa. Por isso vou explicar as suas principais diferenças.

Os perfis pessoais devem ser usados APENAS por profissionais, ou seja, pessoas! E vão ser estes profissionais que vão realizar as tarefas mais relevantes no Linkedin: conexões, recrutamento de pessoas, prospeção de potenciais clientes, etc…

Perfil Pessoal.

As páginas de empresa são, como o próprio nome indica, para serem utilizadas pelas empresas e entidades. À semelhança do que acontece no Facebook, as páginas podem ter seguidores e fazer publicações. Para obter seguidores no Linkedin, a empresa deverá publicar conteúdo relevante entre outras estratégias.

Quando uma empresa usa um Perfil Pessoal em vez de usar uma Página Empresarial uma das coisas que acontece é… ao iniciar um processo de pesquisa, deparamo-nos logo com resultados de “pessoas” com “nomes estranhos”. Estes perfis estão claramente orientados para pessoas e não para estes propósitos corporativos.

A página de uma empresa tem características e um propósito diferentes dos perfis pessoais e deverá ter uma estrutura semelhante a esta que aparece neste link.

 

2. Não usar imagens na sua página de empresa no Linkedin

Como começa a perceber, a existência de uma página corporativa no Linkedin pode ser muito relevante, mas é fundamental que contenha informação válida, caso contrário torna-se prejudicial e dá uma má imagem.
Das principais informações a usar deverão ser imagens de qualidade… imagem de capa e imagem para logotipo. Frequentemente encontram-se páginas de empresa sem imagens. Veja uma página com imagens de qualidade.

 

3. Não adicionar descrição na sua página de empresa

A descrição da empresa é fundamental para a sua empresa aparecer nas pesquisas! Este conteúdo pode ainda estar em vários idiomas, em função do mercado alvo. Não deverá esquecer-se também de, além da descrição, associar TODAS as localizações da empresa para que possa surgir nas pesquisas com filtro de localização. E agora pode ver o que acontece quando faz uma pesquisa de uma empresa onde estão devidamente preenchidas essas informações na sua página.

 

4. Não associar administradores à sua página de empresa

No processo de ativação da presença corporativa no Linkedin, os utilizadores não designam vários administradores, podendo perder acesso à página. Esta perda de acesso à pagina pode acontecer por várias razões: se o colaborador tiver algum problema com o seu perfil pessoal, pode perder acesso à página; Se o colaborador abandonar a organização, pode levar com ele a administração da página!

 

5. Não usar a página para comunicar

Não será muito difícil depreender em relação aos problemas de não comunicar com regularidade neste canal digital. A exigência aumenta com a notoriedade online e offline da marca, com o número crescente de seguidores e com a área de atividade da empresa.
A empresa deve estabelecer uma política de comunicação regular no Linkedin com publicações sobre variados assuntos da vida da organização. As tipologias mais indicadas contêm links para websites e imagens. As empresas que publicam regularmente conteúdos estabelecem uma ligação mais próxima com a sua base de seguidores, tendo maiores níveis de interação e envolvimento.

 

6. Não aproveitar o potencial dos grupos corporativos

Os grupos são recursos da rede para agregar pessoas em torno de um objetivo comum. Estes grupos podem ser criados por pessoas que procuram notoriedade junto da sua classe, pessoas que criam espaço de participação sobre determinado tema ou área de interesse. As empresas através dos seus profissionais podem também criar grupos para alcançar vários objetivos: fomentar a comunicação interna, facilitar ações de recrutamento, estimular a discussão em volta de temas de interesse. Esta estratégia facilita uma maior ligação às diferentes comunidades: sejam elas de prática, de potenciais candidatos, de públicos internos e de restantes stakeholders.

 

7. Não sensibilizar os funcionários para uma correta utilização da rede Linkedin

Muitas das empresas ainda não revelam muitas preocupações sobre o bom uso das redes mais profissionais como o Linkedin. Os profissionais acabam por usar mal estes meios digitais e retiram força digital à organização.