Home / Empresas / Venda de máscaras gera mais de mil reclamações
venda de máscaras

Venda de máscaras gera mais de mil reclamações

A venda de máscaras de proteção gerou mais de mil reclamações no Portal da Queixa, entre 18 de março e 26 de junho deste ano.

“Em 100 dias analisados, foram identificadas 1.016 queixas. Os principais motivos estão relacionados com o atraso na entrega da encomenda, o preço excessivo, burla e não conformidade com o Citeve. Entre as cinco marcas com maior número de reclamações estão suas insígnias da SONAE: a MO Online e a Zippy”, refere o Portal da Queixa em comunicado.

No período analisado referente à primeira fase de confinamento (início do Estado de Emergência), as farmácias foram o principal alvo de reclamações, sendo as razões o valor excessivo e a escassez face à procura por parte dos consumidores.

Segundo revela o Portal da Queixa, durante os 100 dias analisados, as marcas que mais reclamações receberam relativas à venda de máscaras foram: MO Online – Modalfa (348); 365 Inbox (158); Pano Fino (43); N95 Portugal (38) e Zippy (15). Entre os principais motivos que levaram os consumidores a apresentar as suas reclamações estão: atraso na entrega das encomendas (68%), preço excessivo (12%), burla (11%), não conformidade com o Citeve (5%) e outras (4%)”, acrescenta o comunicado.

O Portal da Queixa registou, ainda, casos de burla online de consumidores que efetuaram as suas compras e nunca receberam as encomendas.