Home / OPINIÃO / Crónicas Adams Choice: o poder da escolha e a mentoria
mentoria Crónicas PME Magazine sobre o programa Adams Choice
Foto (Nova SBE Executive Education)

Crónicas Adams Choice: o poder da escolha e a mentoria

Por: Mafalda Marques – PME Magazine

Silva é um profissional de uma multinacional portuguesa, destacado no Brasil para liderar as equipas. Especializado em controle de gestão e soluções aplicacionais, estava habituado a dar formação a milhares de pessoas em terras lusas. Encarou a missão no Brasil como uma oportunidade para fazer algo novo.

Com o tempo, apercebeu-se que, mesmo falando a mesma língua, a sua mensagem não chegava a todos. Percebeu que não tinha só de passar a falar no gerúndio. Esta capacidade se ajustar ao outro, tornou-se a sua principal preocupação, “mentorando” pessoas. As grandes lições que trouxe dos oito anos no brasil foram: comunicar não é fácil, mesmo que na mesma língua, e é preciso inovar para captar a atenção do outro. 

Silva ainda hoje é Mentor das suas equipas em Portugal mas continua a beber das experiências com outros empresários em sessões de mentoria porque reconhece a importância para o crescimento pessoal e profissional, de todos numa organização. 

Cristina Campos, “mentora” há alguns anos, e participante no programa Adams Choice, partilhou os três fatores de sucesso em mentoriaMatching –  a capacidade de ajustar-se ao outro; Clareza – gerir a expetativa e Governance – respeitar o processo.

Identificou ainda as quatro lições que aprendeu na relação entre mentor e mentorado: amizade (querer o melhor para o outro), respeito (pelo caminho que está a fazer), mentalidade aberta (para novas ideias) e equilíbrio (nas perguntas e respostas ao longo do processo).

Cristina acredita que a autenticidade é fator chave para se ligar ao mentorado e aceitar o outro como ele é.

Esta autenticidade obriga uma agilidade e flexibilidade da parte do Mentor em busca de se adaptar ao perfil do mentorado. Esta relação de confiança constrói-se no tempo que pode surtir grandes resultados no crescimento das equipas. 

Não saber escolher é um dilema, por isso Cristina partilha que aprendeu a dizer Não, aprendeu a respeitar a sua energia e avaliar quando é útil e aporta mais valia ao mentorado. 

Saber dizer Não é respeitar a energia. E o propósito é o mais importante em qualquer caminho pessoal e profissional, explica. 


Saber escolher continua a ser difícil, mas Cristina adianta que o coração deve liderar o caminho. A escolha compete a cada um e procurar ajuda a mentores, amigos ou familiares é apenas um passo para querer crescer, fazer mais, e ser melhor. Com humildade.

Esta crónica faz o acompanhamento do programa Adams Choice, organizado pela Nova School of Business & Economics. Pode incluir testemunhos verídicos, sob pseudónimos, validando o impacto do programa nos participantes.