Home / OPINIÃO / Dicas financeiras para criar o próprio negócio
dicas financeiras poupar dinheiro com a banca impacto do teletrabalho teletrabalho atrasos nos empréstimos carina meireles imobiliário
Carina Meireles, consultora financeira (Foto: Divulgação)

Dicas financeiras para criar o próprio negócio

Por: Carina Meireles, consultora financeira

Uma das primeiras coisas a fazer quando queremos criar um negócio é tentar perceber a sua viabilidade no mercado. É preciso estruturar muito bem a ideia e perceber se poderá ser um negócio de futuro interessante. Analisar a sua condição financeira, em primeiro lugar, é prioritário quando se pretende criar um negócio, seja ele de que setor de atividade for. Pensar agora, para poder concretizar depois e não arrancar sem refletir no que poderá acontecer no futuro, principalmente com esta crise que estamos a atravessar e que ainda vai durar mais algum tempo, é uma forma de aprendermos a ser mais conscientes e cautelosos nos negócios porque só assim conseguimos prosperar.

Para isso, aqui ficam algumas dicas financeiras:

1. Crie um planeamento empresarial financeiro

É importante saber para onde ir, como ir e lá ficar. Ou seja, cada vez mais, os negócios só conseguem prosperar se estiverem bem controlados e bem planeados a curto, médio e longo prazo, mesmo que o longo prazo muitas vezes não seja tão possível, devido a investimentos que possam ser feitos pelo meio.

No que toca às empresas, quanto melhor for o planeamento, melhor será a sua gestão, logo melhor serão as vendas e por consequência mais desenvolvida a empresa se tornará.

2. Analise os investimentos no tempo

Se vai criar um negócio é importante, de acordo com o tipo de negócio que pretende lançar no mercado, saber quais os investimentos iniciais e quando poderá ter o respetivo retorno. Para isso, nada melhor do que ter um plano de negócio bem feito e estruturado, de forma a prever investimentos presentes e futuros e saber exatamente como fazer para obter retorno rapidamente. Desengane-se se acha que vai obter retorno sem investir capital próprio no negócio primeiro, deve é quantificar muito bem estes valores para não ter surpresas. Se não conseguir fazer o plano de negócios, procure no mercado profissionais competentes que o/a ajudem nesta tarefa fundamental para a criação da sua empresa.

3. Crie um fundo de maneio inicial

Não peça dinheiro ao banco para criar a sua empresa, porque, muitas vezes, pela inexistência de histórico não consegue aprovação, mas também pela razão principal de que, se pretende criar o seu negócio precisa de saber quanto vai gastar inicialmente e no decorrer do tempo, para criar um fundo de maneio primeiro para depois gastar e não o contrário. Não tem dinheiro para começar? Junte primeiro e depois arranque. Pode começar por, dependendo do negócio, divulgá-lo nas redes sociais, ou apresentando-o a amigos e familiares e vendo o feedback – isto porque, cada vez mais, os negócios são mais digitais e com menos lojas físicas, no entanto, existem custos que têm igualmente de ser previstos. Quem está mais próximo poderá avaliar, numa primeira fase, por exemplo, se gosta de fazer bolos, em vez de partir logo para a abertura da pastelaria. Analise bem o negócio e comece, por exemplo, por vender online, pelo Facebook, Instagram, e entregue em casa das pessoas.

4. Separe a conta de negócio da sua conta pessoal

Para uma boa gestão da vida pessoal e profissional, quando criamos um negócio, é fundamental separarmos o que é do negócio da vida pessoal, para não confundir despesas e ter surpresas de gastos não previstos por confusão de contas.

Tenha sempre em atenção que, mesmo a conta do negócio, deve ser sem despesas. É possível? Claro que sim! Já existem bancos online no mercado, que disponibilizam contas empresariais sem despesas e que poderão ser uma boa solução, permitindo uma redução de custos, sendo aconselhável a análise das opções disponíveis para uma escolha mais acertada. E, claro, também na sua conta pessoal, se está a pagar uma mensalidade por ela, está na hora de analisar o mercado, porque existem também contas sem custos.

E porque não pouparmos ao final do mês com o banco? Vamos a isso!

Ser empreendedor não é fácil, mas se todo o processo de criação for bem feito e bem estruturado, o negócio será um sucesso.