Home / OPINIÃO / Inteligência Artificial para a otimização dos resultados da sua organização
poder dos dados inteligência artificial big data josé oliveira bi4all performance
José Oliveira, CEO da BI4ALL (Foto: Divulgação)

Inteligência Artificial para a otimização dos resultados da sua organização

 Por: José Oliveira, CEO da BI4ALL

Num momento em que, de forma transversal a todas as organizações e setores, são medidos e antevistos os impactos da Inteligência Artificial (IA), torna-se cada vez mais evidente que a sua implementação ao longo dos próximos anos já não é uma incógnita, mas sim uma certeza. Será apenas uma questão de tempo até estar presente e fazer parte do dia-a-dia das organizações, e deverá ser encarado como um processo de adaptação e reflexão por parte de todos os agentes económicos.

De acordo com um relatório da Gartner, a implementação de soluções baseadas em IA aumentou em 270% nos últimos quatro anos. Estes números são avassaladores e demonstram um crescimento exponencial que irá levar as organizações, incluindo as de pequena e média dimensão, a dotarem-se do máximo de conhecimento possível sobre o tema, quais os seus benefícios e sobre como lhes poderá ser útil.

Em poucas palavras, a Inteligência Artificial pode definir-se como o ramo das ciências informáticas que desenvolve “máquinas inteligentes” (computadores, robots, softwares, etc.), ou seja, máquinas que são capazes de reagir e de desempenhar tarefas tipicamente associadas a seres inteligentes. Esta função corresponde ao cumprimento de objetivos como a construção de sistemas que “pensem” exatamente como um ser humano, ou seja, a criação de sistemas que desenvolvam uma determinada função sem que necessitem de compreender como funciona o raciocínio humano, ou a utilização do raciocínio humano como um modelo de base, mas não como objetivo.

Com o enorme volume de dados com que as organizações hoje trabalham, a implementação de soluções baseadas em IA é a forma ideal de dar resposta a situações (cada vez mais recorrentes e comuns na atividade de uma organização) em que a capacidade analítica dos seres humanos tende a ser um desafio face à velocidade e complexidade dos negócios, funcionando como uma importantíssima ferramenta de resolução de tarefas para o apoio aos processos de tomada de decisão, por exemplo. Através da utilização da IA, torna-se, assim, possível libertar os decisores e os profissionais das organizações para as funções e tarefas para as quais são realmente necessários, ajudando-os a criar mais valor.

Neste contexto, é importante referir, de forma objetiva, alguns exemplos de como a utilização da IA terá um impacto significativo em organizações de pequena e média dimensão: rápido processamento de grandes quantidades de informação; mais e melhores informações com real relevo para o negócio e para os processos de tomada de decisão; uma melhor e mais completa abordagem às necessidades dos clientes, personalizando a sua experiência e proporcionando-lhes condições e benefícios únicos; ou a integração e automação de serviços, possibilitando um fluxo de trabalho ininterrupto, o que se traduz numa redução dos tempos de resposta e custos operacionais.

É virtualmente imensurável o quão poderosa pode ser uma ferramenta de IA para qualquer organização. A sua implementação pode, em muitas ocasiões, ser mesmo o fator decisivo que desequilibra a balança a favor do sucesso. Se o objetivo de todas as organizações passa por reduzir custos, agilizar processos, melhorar os seus níveis de eficiência, e criar novas oportunidades de negócio, não devemos ter receio de utilizar as melhores ferramentas que nos permitem fazê-lo.