Home / Tecnologia / ECONOMIA / Sistemas integrados no futuro da gestão empresarial
gestão empresarial josep maria raventos sage portugal
Josep Maria Raventós, country manager da Sage Portugal (Foto: PME MAgazine)

Sistemas integrados no futuro da gestão empresarial

As tarefas administrativas continuam a ser um dos maiores desafios para as empresas em todo o mundo, com impacto profundo na produtividade das mesmas. Para Josep Maria Raventós, country manager da Sage Portugal, este continua a ser um dos grandes problemas das empresas hoje em dia.

“Os processos administrativos são um grande desafio dos empresários. As PME estão a dedicar 17% da sua estrutura, que são 240 dias ao ano, em tarefas administrativas. Isto tem um impacto enorme na eficiência, na produtividade, nos benefícios da própria empresa, na capacidade competitiva”, disse o responsável, em entrevista à PME Magazine.

Como podemos, então, tornar o trabalho mais eficiente? Josep Maria Raventós lembra que há muitos setores em que já houve essa tomada de consciência, nomeadamente no retalho, sendo agora necessário alargar essa transformação às PME.

“As pessoas quando vão comprar roupa às lojas, previamente já viram pelos websites. Essa transformação é também necessária nas PME, em que estamos a ver dois mundos diferentes: o mundo tradicional das pequenas empresas e o mundo que se está a globalizar está a avançar de forma muito rápida. Em que âmbitos é que é importante: na gestão e na relação com os clientes.”

No que toca à relação com os clientes, o líder da Sage Portugal alerta para a necessidade de as empresas terem um sistema de Customer Relationship Management (CRM), “que ajude a melhorar essa gestão e relação com os clientes para dizer quais são as suas necessidades, quais são as suas demandas mais importantes, quais são os produtos mais interessantes que eles estão a adquirir ao nosso negócio, qual é a mudança ou a evolução que estão a pedir a esses produtos”.

Cloud é incontornável

“O processo de implementação, que passa do on premise para hybrid cloud e full cloud, ainda vai demorar um bocadinho. Vai demorar todo o tempo em que as pessoas sejam capazes de mudar o mindset”, alerta.

Para Josep Maria Raventós, é importante “ter os processos de gestão absolutamente integrados”, algo que cada vez é mais percecionado como sinónimo de ter informação na cloud, apesar de este ser um caminho que ainda vai levar algum tempo.

O responsável considera que ainda há algum “medo” das empresas em ter informação na cloud, razão pela qual a “Sage está a fazer é muita pedagogia para que os empresários e para que as empresas percam esse medo”.

“Há benefícios que são claramente palpáveis desde o primeiro momento: os custos de infraestrutura são muito menores, os custos de custódia de informação são muito menores, os custos de investimento são muito menores, tudo o que é o processo de atualizações é muito mais rápido. Não há ruturas com as soluções anteriores, isto é uma vantagem enorme. Portanto, acho que os benefícios são constatáveis.”

(Conteúdo patrocinado)